ABIME   ABIME   ABIME   ABIME   

Jaguariúna, a “Estrela da Mogiana” no interior paulista

Jaguariúna, a “Estrela da Mogiana” no interior paulista post thumbnail image

Opções turísticas que caracterizam o clima aconchegante do interior de São Paulo

Por Thiago de Menezes *

Entre as atrações turísticas conhecidas de Jaguariúna, os passeios de Maria Fumaça, que anunciam o clima aconchegante do lugar, é um dos mais tradicionais e procurados. Realizado na legítima locomotiva da Cia. Mogiana, fabricada em 1952, percorre as cidades de Jaguariúna a Campinas, passando pelas antigas estações de Anhumas, Pedro Américo, Tanquinho, Desembargador Furtado e Carlos Gomes. Esse terminal é mantido pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), que foi fundada em 1977 nos mesmos moldes de entidades existentes na Europa e Estados Unidos, para a divulgação histórica das ferrovias do Brasil e cuja sede nacional está localizada em Campinas. Além do passeio, é possível conhecer, na estação de Jaguariúna (conhecida como “Estrela da Mogiana”), o Museu Ferroviário, com peças e fotos sobre a história e tradição das locomotivas na região.

E é justamente na antiga Estação da Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (da Fepasa), hoje um verdadeiro monumento ferroviário restaurado, onde iremos encontrar abrigados o Centro Cultural de Jaguariúna (que utiliza os seus salões para cursos, eventos artísticos, seminários e reuniões diversas), a Biblioteca Municipal, a Rádio Educativa Municipal – Estrela FM e várias lanchonetes. Esse pequeno polo gastronômico, transformado em reduto de restaurantes e barzinhos, prova que os turistas e os moradores não têm dificuldade em integrar passado e presente. Numa das áreas gramadas do Centro Cultural há a réplica de uma Caravela, feita para homenagear o aniversário de 500 anos do descobrimento do Brasil e no entorno dos jardins foram plantadas árvores de pau Brasil.

Mesmo com o crescimento de seu polo industrial, Jaguariúna, fundada pelo visionário Coronel Amâncio Bueno em 5 de agosto de 1896, se mantém uma cidade tipicamente interiorana. Outro “monumento ferroviário” reformado e conservado pela Prefeitura Municipal é a ponte ferroviária da antiga Cia. Mogiana, chamada de Ponte Pedro Abrucêz, também conhecida como “Ponte do Jatobazeiro”, que foi inaugurada em 1875 com a presença do Imperador D. Pedro II e da Princesa Isabel, que, na ocasião, hospedaram-se na Fazenda Jaguari (hoje Santa Úrsula), de propriedade do Barão de Ataliba Nogueira.

Há na cidade, conhecida nos quatro cantos do país como a “Capital do Cavalo”, por realizar há duas décadas a tradicional festa dos peões e que também é sede de uma das maiores festas country do Brasil: o Jaguariúna Rodeo Festival, o Rio Jaguary, o Parque Santa Maria, o Parque Serra Dourada, Parque Luiz Barbosa, Parque dos Lagos; além de várias praças, grandes áreas verdes, fazendas e sítios centenários, entre outros atrativos naturais, para quem sabe o valor de repousar no colo da mãe natureza.

Poucos sabem, mas o nome Jaguariúna, terra com tesouros históricos e culturais, significa rio da onça preta em linguagem indígena. Leitor, conheça Jaguariúna, a antiga Jaguary, onde o turismo e a natureza se fazem presentes em todos os cantos, e abra as portas que levam aos encantos do passado, sem perder de vista a longa história que ainda há à nossa frente.

Visite Jaguariúna o ano todo!

FOTOS: DIVULGAÇÃO / REPRODUÇÃO

Thiago Galenbeck Gagliardi de Menezes é jornalista consular e escritor especializado em Turismo e credenciado pela EMBRATUR; Membro da ‘AIERJ – Associação de Imprensa do Estado do Rio de Janeiro’ e da ‘Academia Carioca de Letras’ (correspondente). Adido de Imprensa da ‘ACONBRAS – Associação dos Cônsules no Brasil’. “Medalha Hipólito da Costa”, Patrono da Imprensa Brasileira, da ‘Ordem dos Jornalistas do Brasil’, outorgada pelo Presidente José Fernando Salgado.

Contato: menezes.turismo@gmail.com